UM FINAL DE ANO MENOS ESTRESSANTE, POR FAVOR!

Quando mencionamos final de ano, logo podemos associar ao Natal e Ano Novo, correto?

jantar-do-natal-família-feliz-grande-junto-27957287Que época do ano mais gostosa. É um momento com paz, amor, reflexão, esperança, respeito, confraternização, perdão… “Opa”, será mesmo que estes itens citados acima estão presentes, e damos valor a estes simbolismos? Ou simplificamos a apenas festas e presentes?

Estamos cada vez mais nos simplificando, esta é a palavra correta, e anulando momentos que podem ser muito mais gratificantes do que comer, beber e ganhar presentes. Momentos esses de compaixão, de amor ao próximo, de solidariedade consigo e com o outro, de esperança, de mudança (não do outro, mas a nossa), de felicidade, e acima de tudo, momentos que trazem aconchego.

Claro que comer, beber, festejar e ganhar presentes podem ser ótimos momentos. Mas nada melhor que incluir outros itens nesta pequena lista, não é mesmo?

O mês de dezembro e janeiro são marcados por férias, viagens e festas, mas também podem ser muito turbulentos quando há estresse, ansiedade, dúvidas e todos já estão cansados da rotina, do trabalho, das dificuldades enfrentadas durante o ano, mas lembre-se que “tudo pode piorar” quando o casal e a família não sabem enfrentar juntos estas dificuldades.

As incertezas surgem no casal:

  • Com quem passarão o Natal e o Réveillon, família dele ou dela?
  • O que vai ter para comer?
  • E a sobremesa?
  • Vamos viajar quando? Para onde?
  • O que faço com o cachorro?
  • E as crianças?
  • Quando vamos voltar?
  • Quanto iremos gastar?
  • Conseguiremos pagar tudo?

Tantas perguntas, que podem trazer inúmeros conflitos, principalmente quando não há uma relação equilibrada. Equilíbrio este que acontece com comunicação, compreensão e flexibilidade para que haja uma negociação de como, onde e com quem estarão nesses momentos.

As interferências externas também prejudicam o final de ano do casal, como interferências das famílias de origem, por exemplo. Famílias (pais e sogros) cobram a presença dos filhos nas festas de Final de Ano, deixando com que se sintam culpados e podendo gerar uma briga entre o casal. Nesta situação, antes de vir às cobranças, é importante o casal conversar sobre o que pretendem fazer, aonde ir, lembrando sempre que ceder um pouco pode ser necessário para que consigam passar este momento com paz e alegria. E quando não souberem o que será feito, antes das cobranças surgirem, responder de forma clara e sensata que não decidiram ainda, e que esta decisão é apenas do casal. Claro que de maneira que não traga ofensas, mas explicando que as cobranças apenas prejudicam, que podem estar fazendo convites, mas quem irá decidir serão os dois juntos, e não os pais ou os sogros.

Esta situação é muito comum, e a família também precisa tomar cuidado para não pressionar os filhos.

O Natal e o Réveillon são iluminados. Portanto, curtir esses momentos da melhor maneira possível e com tranquilidade é a chave para um final de ano feliz e repleto de muito amor.

Já quero adiantar à todos os leitores, um Natal muito iluminado, com muita paz e harmonia!

 

Grande abraço,

Adriana Visioli

voltar para Artigos

left show fwR center b02ns normalcase bsd|left tsN fwB|left show fwR|c05 b01 bsd|||news login b01 fwB tsN fwR tsY c10 bsd|normalcase b01 tsN c10 bsd|normalcase c10|login news b01 normalcase c05 c10 bsd|tsN normalcase c10|b01 normalcase c10 bsd|content-inner||